segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Relações Públicas sob uma perspectiva filosófica

Esse tema parece ser bem sugestivo. Quando falamos em filosofia, logo nos lembramos daquelas aulas de história, no período do colégio, bastantes monótonas, em que a maioria dos alunos tentava esquecer.

Mas quando falamos em filosofia lembramos dos três filósofos mais citados nos períodos históricos: Sócrates, Platão e Aristóteles. De maneira geral, esses três filósofos influenciaram diretamente diversas áreas do conhecimento: política, lógica, moral, ética, poética, física, pedagogia, didática, entre diversas outras.

Parece que foi ontem que, na 5ª série, na aula de redação, a professora pediu para que eu ficasse de pé e lesse o texto para a classe. Mal conseguia ler, gaguejava mais do que Machado de Assis...

O que esses filósofos têm a ver com Relações Públicas? Eles tinham um ponto em comum, todos valorizavam a inteligência humana.

Tudo bem, depois da revolução industrial tudo mudou, de médico e louco, todo mundo tem um pouco. Esse ditado se transformara em “verdade absoluta” depois que a máquina passou a fazer parte de nossas vidas. A industrialização, o poder que esse novo sistema começou a exercer nas grandes cidades transformava a população em máquina, como dizia Charles Chaplin: “Tempos Modernos...”.

Sim, mas o que tem a ver esses filósofos com Relações Públicas? Ah, já ia esquecendo, absolutamente tudo. Isso, absolutamente tudo. Bem, tempos modernos realmente vivemos agora. Essa chamada nova economia, a responsabilidade social, a responsabilidade ambiental, os direitos do consumidor, a lei Maria da Penha, tudo isso abriu caminho para que todos passassem a valorizar o que aqueles três filósofos já praticavam antes de Cristo. A valorização do humano. E o que é que as Relações Públicas propõe? “Toda profissão tem um propósito moral. A Medicina tem a saúde. O Direito tem a justiça. Relações Públicas tem a harmonia – harmonia social”. (Seib e Fitzpatrick, Public Relations, 1995)

É promover a interação, é aproximar os grupos através dessas ferramentas que a tecnologia nos ofertou. Internet, jornal, rádio, tv. É fazer uso consciente dos recursos ambientais, financeiros, humanos que temos para desenvolvermos as potencialidades das organizações sociais, não governamentais, empresariais. É dar a possibilidade de criarmos a harmonia social, enfim...Relações Públicas.
por Danilo Marinho

Um comentário:

  1. Boa tarde.
    Muito bacana o que você escreveu, gostei muito do texto! Relações Públicas tem ligação profunda com harmonia, coerência, democracia e transparência.
    Creio que valha a pena ler o livro "História das Relações Públicas", disponível para download no portal www.portal-rp.com.br, mantido pelo reconhecidíssimo professor Waldyr Gutierrez Fortes.

    Abraços,

    Aurélio Martins Favarin

    ResponderExcluir