sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Um profissional renascentista

Esta semana o Clube do RP recuperará um bate papo com Luiz Gaulia, em 2011, jornalista e públicitário com especialização em comunicação corporativa. Confira na íntegra a conversa.

Clube do RP - Em termos de imagem para o país, o que representa a eleição da cidade do Rio de Janeiro para sediar as olimpíadas de 2016?
Gaulia - Quando falamos apenas de imagem, estamos falando de uma ilusão, de uma percepção favorável ou desfavorável. No caso de uma Olimpíada, a eleição da do Rio de Janeiro é sem dúvida um ponto positivo para a cidade e para o país.Afinal, o simbólico tem muito valor no imaginário coletivo.

Clube do RP - Falando em termos de mercado, como anda a situação dos profissionais de comunicação no Brasil?
Gaulia - Tenho uma percepção favorável sobre isso. As empresas estão descobrindo o óbvio - sem comunicação não há relação, não há negócio, comércio, interação porque tudo depende da comunicação. E um mundo hiperconectado contribui para valorizar o profissional de comunicação, desde que ele seja mais que um ferramenteiro. Que saiba fazer um jornal, o site, o relatório, mas também entenda de cultura, história, psicologia, sustentabilidade. Um perfil que chamei de "o novo renascentista" num artigo publicado na revista da Aberje e que a própria associação classifica como "mestiço". Este é o profissional que o mercado vai valorizar cada vez mais.

Clube do RP - Onde podemos achar esses profissionais mestiços no Brasil, no mercado ou na academia?
Gaulia - Este profissional está tanto no mercado como na academia. Ele está "na rede". O importante é que os head hunters saibam como encontrá-lo - fora do padrão "envie seu currículo". Este profissional pode até já está na empresa - mas se a empresa não permite um diálogo amplo, não permite a possibilidade de conversas construtivas e inovadoras vai ficar difícil de perceber a existência desse profissional em seus corredores.

Clube do RP Ainda existe uma dificuldade muito grande para o empresariado entender a importância do profissional de comunicação em sua empresa. Seria o caso de se desenvolver uma campanha para esclarecer essa questão?
Gaulia - Tudo é válido. Mas eu chamo atenção de uma coisa: o empresariado sabe da importância do profissional de comunicação. O líder verdadeiro, criador e empreendedor é um profissional de comunicação, porque senão não haveria negócio. Ou seja, quer mais valorização do que isso? Apenas alguns não perceberam esse fato. Organizações são processos permanentes de comunicação...

Clube do RP - Alguma sugestão para egressos de comunicação para ingressar  no mercado de trabalho?
Gaulia - Conhecimento. Leiam, estudem, se aperfeiçoem como profissionais e também como pessoas. Cuidem da saúde física, mental, emocional e espiritual. Compartilhem suas idéias e não busquem "empregos" - busquem relações duradouras, busquem aprendizado através de novas amizades. É o que digo para profissionais de vendas. Não corram atrás de pedidos de compra. Façam amizades, conheçam as pessoas, se interessem por elas: como posso ajudar essa pessoa? Aí as coisas vão fluir. O mundo precisa de novas soluções e abordagens e a maior é valorizar a vida humana através das relações diárias.

Clube do RP Qual a importância das Redes Socias na construção dos processos comunicativos?
Gaulia - Vivemos em hiperconexão tecnológica e esse fato nos insere em redes, quer queiramos ou não. Estamos na mídia, estamos no virtual. Clique seu nome no Google, por exemplo, e veja quanta coisa está registrada. A rede é onipresente e onisciente. Para o mal como num grande Big Brother vigilante, mas também para o bem - como na troca de conhecimentos, descobertas ou na conversa com pessoas da Índia, na Islândia ou em Angola. Viramos vizinhos e apesar do que disse o historiador Theodor Zeldin ("A humanidade é uma família que não se conhece") eu vejo que hoje estamos nos reconhecendo mais íntimos e familiares a cada novo dia. Ou seja, as redes sociais sempre existiram, mas hoje estão globais e isso no meu entender traz coisas boas e coisas ruins. Aliás, como em qualquer atividade humana.

Clube do RP - Como avalia a crise diplomática entre Brasil e Honduras?

Gaulia - Bom, não sou expert em política internacional e acredito que no Itamarati existam as melhores cabeças para tratar deste assunto. Mas gostaria de ver o conflito resolvido através do diálogo entre as partes interessadas, preceito da sustentabilidade. Nunca através de armas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário