sábado, 20 de dezembro de 2008

Relações Públicas na "onda" da Comunicação Empresarial

No início da década de 1990, a evolução tecnológica foi um dos fatores determinantes para o que posteriormente chamaríamos de globalização. Algumas características desse movimento como velocidade de informação, dinamismo dos processos operacionais, planejamento, impuseram ao empresariado novas demandas para garantir a sustentabilidade da organização. Mas, para isso seria necessário implantar políticas que suprissem essa necessidade.

Em função disso, grandes corporações tiveram que acompanhar as mudanças desse cenário. Atualmente, a busca por profissionais que tenham visão empresarial prática apresentam-se como a tônica nas reuniões, debates, seminários e, também, mote para discussão entre professores, alunos e profissionais da área.

Inserida nesse contexto mercadológico, a comunicação ganhou força, tendo em vista sua relevância administrativa, através de seus meios, veículos e instrumentos. Vale salientar que todos receberam influência direta das três eras históricas, chamadas por Alvin Toffler de primeira onda, segunda onda e terceira onda. Estes períodos marcaram significativamente a história da comunicação.

A primeira onda foi marcada pelo predomínio da agricultura, a subsistência das cidade vinha, em geral, do trabalho agrícola, ou seja, a fazenda e os feudos eram considerados as unidade geradoras de empregos. A segunda onda, ou sociedade industrial foi marcada pela revolução industrial, caracterizados principalmente pela invenção da prensa. Por fim a terceira onda, ou sociedade da informação, caracterizados pelos avanços tecnológicos, robótica, que se sustentam-se até hoje.

As ciências da computação talvez sejam as que mais contribuem para a sustentabilidade da terceira onda. O universo virtual faz parte do mundo contemporâneo e, como não poderia deixar de ser, influencia a comunicação, criando novas possibilidades como o e-mail, as salas de bate papo, a intranet, o telefone celular, a internet sem fio, o gps... Estes elementos vislumbram para um cenário de meios de comunicação alternativos, antes nunca imaginados para democratização da informação.

É de fundamental importância que as organizações entendam que planejamento estratégico de comunicação é um componente essencial para seu próprio desenvolvimento. A interação, os processos de troca, de relacionamento entre as organizações e seus públicos, são o que podemos chamar de Comunicação Empresarial.

Tal planejamento define seus rumos, define seu papel, "marca seu território" no mercado. Para isso, implantar ações que agreguem os interesses comuns das empresas e seus públicos não é tarefa das mais fáceis. Então, executar o processo total da comunicação institucional da organização como recurso estratégico de interação com diferentes públicos é nosso papel, por isso temos muito trabalho a fazer. Mãos à obra.


por Danilo Marinho

Um comentário:

  1. Muito Bom Danilo!
    Um blog interessantíssimo.
    tentarei acompanhar os seus textos.
    grande abraço
    Chris Nolasco

    ResponderExcluir