quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Rumo à nova ordem comunicacional

Na edição 69 da revista comunicação empresarial da aberje de 2008, Luiz Gaulia faz uma análise do novo cenário surgido em função dessas novas demandas organizacionais. Na ocasião ele levantou uma questão bastante pertinente: Jornalista, publicitário ou RP. Qual desses profissionais é mais qualificado para gerir a comunicação dentro das organizações?

Nem jornalista, nem publicitário, ou relações públicas e, ao mesmo, tempo todos eles. Os novos renascentistas. Psicólogos, administradores, publicitários, relações públicas e jornalistas. Esse termo, adotado por Luiz Gaulia, parece ser muito adequado se levarmos em consideração que as relações na esfera organizacional deixaram de ser relações puramente de negócios. Isso já sinaliza uma evolução na conjuntura mercadológica. Por isso, o comunicador empresarial deve estar munido da maioria das ferramentas que a tecnologia oferece.

No entanto, o que as relações públicas propõem em sua essência? "...Relações públicas, a harmonia. A harmonia social”. (Seib e Fitzpatrick. Ethos – 1995).

A própria história das relações públicas revela seu princípio ético. Seu surgimento se deu ao fato de, na época, existirem conflitos entre as relações organização/públicos. Ivy Lee, “pai” das relações públicas, no início do século, tentou encontrar uma perspectiva conciliatória entre os interesses desses dois personagens.

O que mudou até agora? Os mesmos conflitos ainda existem, apesar de aparecerem também iniciativas que visam minimizar esses impasses. As novas demandas sociais impuseram aos poderes públicos e privados, mudanças em suas culturas, mercadológicas, econômicas, financeiras, administrativas. É nesse contexto que entra o profissional de comunicação. Profissional mestiço!!

Os discursos em torno desse profissional têm se tornado mote para debate entre empresários, estudantes e profissionais de outras áreas que interferem no processo de desenvolvimento.

Em sua em sua excelência, o comunicador empresarial, é o resultado híbrido de uma fusão inevitável das diversas áreas do conhecimento como marketing jornalismo, publicidade, psicologia, administração, antropologia, relações públicas e sociologia. Como o próprio Luiz Gaulia os nomeou: Os Novos Renascentistas.


por Danilo Marinho

Um comentário:

  1. Complemento a discussão com mais uma característica necessária aos "novos renascentistas": a visão do todo, capaz de facilitar a compreensão de como diferentes pontos de vista podem enriquecer uma idéia.
    O comunicador empresarial moderno é um multidisciplinar, com vasta abragência técnica, amplos horizontes culturais e uma abordagem humanística vital para um mundo sem fronteiras.
    Abraços,
    Gaulia
    http://gaulia.blogspot.com

    ResponderExcluir