segunda-feira, 27 de abril de 2009

Adesão da liderança e comunicação embasam BSC


A comunicação da estratégia é um elemento fundamental para que as organizações alcancem sua visão de futuro. Sua implantação é mais efetiva quando as pessoas estão envolvidas e entendem claramente como o trabalho de cada um contribui para que o todo alcance seus objetivos. E para conhecer as práticas adotadas por organizações líderes na implementação da estratégia e saber quais recursos têm usado para envolver as pessoas da organização no cumprimento de seus desafios estratégicos, a ABERJE – que atualmente reúne expertise das Associações Brasileiras de Comunicação Empresarial, Branding e Comunicação Organizacional – desenvolveu o curso “Melhores Práticas em Comunicação da Estratégia - A Comunicação como Apoio à Implementação do BSC”. O tema foi tratado pela consultora e economista Maria Auxiliadora Moraes Amiden no dia 2 de abril de 2009 no auditório da entidade em São Paulo/SP. A ação aconteceu em parceria com a Symnetics Consultoria Empresarial.

Estratégia é o modo pelo qual uma organização procura alcançar sua visão e missão, estabelecendo uma série de objetivos e metas por meio de um método que envolve pessoas, recursos e processos. De acordo com Michael Porter, a estratégia é definida por um posicionamento único da empresa, com proposta de valor e iniciativas que especificam o que a empresa faz e o que não faz. A metodologia Balanced Scorecard/BSC surge para fazer uma ponte prática entre a estratégia e a priorização de iniciativas e a gestão da operação com melhoria contínua até chegar nos resultados para públicos diversos (como acionistas e clientes), em processos eficientes e eficazes e em pessoas motivadas e preparadas. “O propósito do BSC é ajudar as organizações a executarem com êxito as suas estratégias e alcançarem resultados extraordinários”, resume Dôra, citando David Norton e Randall Russell, da BSC Collaborative. As origens do método vem de 1992, com o aumento da complexidade da economia e da sociedade e o retorno da relevância das definições estratégicas, com a proposição de um balanceamento de indicadores de curto e longo prazos para dar conta de variáveis não-controláveis e de distintas exigências de resultados. Então, surgiram os cinco princípios de uma organização orientada para a estratégia: mobilizar a mudança por meio da liderança executiva, traduzir a estratégia em termos operacionais, alinhar a organização com a estratégia e motivar para transformar a estratégia em tarefa de todos e em processo contínuo. (Leia mais em mundo rp)

Por Rodrigo Cogo / São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário